22 setembro 2014

{Resenha} O maior amor do mundo - Seré Prince Halverson

Seré Prince Halverson
Nome do livro: O maior amor do mundo
Autor(a): Seré Prince Halverson
Editora: Arqueiro
Nº de Pág: 320
Classificação: 
Sinopse: Ella Beene encontrou a felicidade há três anos, quando parou ao acaso na pequena Elbow e conheceu Joe, que cuidava sozinho dos filhos. Logo os dois estavam casados e a vida parecia perfeita. Até que um dia Joe desobedeceu à sua própria regra – “jamais dar as costas para o mar” – e morreu afogado enquanto tirava fotos nas rochas.Ella sempre acreditou que Paige, a ex-mulher de Joe, simplesmente abandonara o marido e os filhos. Mas, para sua surpresa, Paige aparece no funeral querendo as crianças de volta. É quando Ella percebe que Joe não lhe contou tudo sobre seu primeiro casamento.Trilhando caminhos diferentes, as duas mulheres se encontram na mesma encruzilhada, disputando a guarda das crianças que amam e buscando respostas para seus conflitos emocionais.O Maior Amor do Mundo é um mergulho no complexo universo da maternidade, com seu afeto incondicional e muitas vezes doloroso. Uma história tecida em cores vívidas e um guia cativante das emoções humanas – da dor e da raiva, da vergonha e do perdão, da tristeza e da esperança que sonha se transformar em felicidade.
Após muitas tentativas frustradas de engravidar, Ella Beene se divorciou e colocou o pé na estrada tentando reconstruir a sua vida. O destino a levou até Elbow, onde ao parar para fazer um lanche, conheceu Joe Capozzi, o dono do mercado da cidade que há 4 meses cuidava sozinho de seus dois filhos pequenos, Annie de 3 anos e Zach de apenas 2 meses.

Abandonado pela esposa, Joe e Ella engataram um romance e um casamento rapidamente, onde Ella assumiu de bom grado o papel de mãe. A felicidade de Ella durou apenas 3 anos, transformando-se em um completo pesadelo quando ao mesmo tempo, Joe morre afogado e Paige, a mãe biológica das crianças, volta e resolve pedir a guarda delas.

Devastada, Ella não sabe da missa a metade do que a espera, quanto mais mexe no passado para descobrir o que fazer pra ficar com as crianças e o que realmente houve entre Joe e Paige, ela descobre segredos com os quais não saberá lidar.

O que levou Paige a abandonar o marido e os filhos? mero capricho? Porque Joe escondeu tantos segredos e quais são esses? Ella está pronta emocionalmente para cuidar e lutar por 2 crianças a quem se apegou mas não tem vínculo sanguíneo?

"O maior amor do mundo" me ganhou pela capa, depois pela sinopse. Troquei ele no skoob, pelo plus e há tempos ele habita minha estante e me chama para conhecer sua história. Minha relação com os livros são assim, acho que tenho meu tempo certo para absorver histórias, me identificar com os personagens e esse, foi lido na fase certa, a ponto de me fazer adorar e devorá-lo madrugada a dentro.

Seré Prince não poderia ter estreado em melhor forma, sua narrativa tem vida própria e em determinados momentos, vivi todas as angústias e medos de Ella. Narrada em 1ª pessoa, a protagonista consegue facilmente ganhar nossa simpatia, quando já no primeiro capítulo perde seu marido, ficando viúva e sozinha com 2 crianças que não são seus filhos biológicos, mas a quem ama mais que a si mesma.

Joe manteve muitas coisas em segredo da esposa, coisas que teriam feito diferença em suas vidas se tivessem sido reveladas a tempo. Qual é a esposa que não se sentiria traída ao pensar que estava pisando em chãos firmes quando na verdade era nada menos que um campo minado? Mas Joe estava morto e ninguém além dele poderia responder suas dúvidas.

Paige reapareceu no velório do ex-marido, ganhou toda a atenção da pequena Annie que a reconheceu de imediato deixando Ella com ciúmes e medo. A visita não fora em pior hora e a notícia de que pretendia ter seus filhos junto a si, em outro Estado, não poderia ter deixado a madrasta mais indignada e aterrorizada. Ela já havia perdido o marido, perderia também seus filhos para a terrível mulher que fora capaz de sair porta a fora deixando duas crianças pequenas? Afinal, quais foram os motivos reais para Paige agir como agiu?

Ella amamentou um bebê de 2 meses, trocou fraldas, ficou acordada por noites e noites quando estavam doentes, ensinou-lhes a andar, a falar e agora, uma estranha estava levando-lhes embora, sem ao menos saber quem eram ou suas rotinas. Ella sacrificou todo o encantamento de um novo relacionamento assumindo papel de mãe em período integral desde o primeiro momento em que colocara os olhos neles, criou vínculo, deu-lhes segurança, assoprou-lhes os joelhos machucados, não teria mais direitos que aquela que se sentiu pressionada e partiu?

Uma história tocante que mostrou que mãe também é aquela que cria, que mostra que vínculos e amor são construídos dia a dia, com o convívio, com a segurança emocional, com carinho. Me fez mergulhar em mundos tão opostos e me simpatizar com ambas as mães, sim, com a que ficou e também com aquela que partiu, entendi seus medos, traumas pesados de infância e motivos.

Como os acontecimentos e experiências de nossos pais e da nossa infância interfere em nosso futuro? Fiquei surpresa pela abordagem real de maneira tangível desse fator psicológico, cheguei a ficar assustada a ponto de relacionar e, inclusive justificar, algumas (muitas) atitudes minhas hoje, convicções com fatos acontecido entre meus pais, quando eu nem tinha idade suficiente para entender o que estava acontecendo. Incrivelmente perfeito!

Os personagens secundários são fortes e interessantes e a história prende como um todo, onde Ella irá tecer uma teia e reunir fragmentos de lembranças para entender Joe e Paige, lutar por seus filhos e amadurecer muito neste longo e doloroso caminho rumo à verdade.

Uma leitura deliciosa que te surpreende e te envolve até o último capítulo. Chorei, sofri e sorri muito!

Conheça alguns quotes:
O vapor no espelho embaçava minha própria imagem refletida nele, subtraindo as rugas como num efeito de Photoshop, mas nem as ditas rugas eram motivo de preocupação. Só quem não ri não tem pés de galinha - e eu ria muito. Pàg 7
Minha casa anterior (assim como minha vida anterior) havia sido extremamente organizada, porém austera e monótona, e depois disso passei a ver a bagunça como um mal necessário para quem quisesse ter uma vida plena. Pág 11
Mas feridas profundas são campo fértil para a impulsividade. Pág 31
Hoje sei que a mais genuína felicidade se mantém à tona por meio de uma tristeza subjacente. Todos nós chegamos a este mundo repetindo os gritos de nossos ancestrais, trazendo no sangue o DNA deles, mas também suas glórias e derrotas. A dor deles é nossa, é a tristeza que abre caminho para dias de sol. Pág 312

21 comentários:

  1. "Mas feridas profundas são campo fértil para a impulsividade", a partir deste trecho percebi o quanto de encantamento poderia ter este livro. sempre embarco em temas assim complexos, em que moral, ética e legalidade se chocam, se contrapõe... nem sempre o que é legal é moral ou ético. tento na maioria das vezes empatizar... ficar pelo menos próximo, senão sentir a dor da perda ou da escolha. isso me consome também e é este reviver em outra pele que faz a leitura ser tão gratificante. percebi o quanto você gostou do livro querida Chrysthie e se você gostou, bom... já torna-se leitura obrigatória pra mim. parabéns pela resenha superemotiva!!!

    ResponderExcluir
  2. Não sou chegado a romances, mas esse me atraiu. Parece ser um bom livro.
    Adorei a sua resenha.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro

    ResponderExcluir
  3. Chrys a capa do livro é linda e o tema como mãe sei que vai emocionar, afinal uma das mães ficará sofrendo a perda dos filhos, a convivência da mãe com os filhos é de amor incondicional ( mesmo não sendo mãe biológica ) fiquei muito curiosa para saber quais segredos Joe escondeu. Louca para ler. beijos

    ResponderExcluir
  4. Aaaaah, Chrys, querida, quanta emoção nas suas palavras, quanta paixão no seu encantamento! Sou assim tb, emotiva quando leio sobre maternidade, nosso melhor e mais profundo papel!
    Nem imagino as razões de Paige, não posso julgá-la. Nem de Joe, por não deixar tudo claro - será q uma hora ele não iria revelar? Tadinha mesmo é da Ella, envolvida por amor, completamente mãe dessas crianças! Sou madrasta e sei do investimento emocional q fazemos, nesse caso do livro ela assumiu as crianças bem pequenas ainda... já fico torcendo por ela, de antemão.
    Claro q um drama assim me encantou, claro q quero ler e ficar assim q nem vc: empolgada, apaixonada, na pele das mães e até dividida.
    Bela resenha, amei!
    Beijoooooo!

    ResponderExcluir
  5. faz tempo que quero ler Chrys, fui conquistada pela capa, assim como você!
    posso falar, com esse enredo eu vou chorar!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ai Chrys, que resenha linda.. só por tudo que tu escreveu já fiquei completamente emocionada e morrendo de medo de ler o livro. Acho que no momento não tenho estruturas emocionais para lê-lo, mas estou louca de vontade, principalmente para descobrir os mistérios que rondam essa família. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  7. Aaah eu fico tão feliz quando vejo resenhas e percebo que o leitor se entregou a leitura.
    Gostei bastante da sua *---*
    O livro parece ser incrivel, vou adicionar na listinha ;)

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Chrys
    Acho que é a primeira vez que venho aqui com o novo layout: FICOU LINDOOOO *0*
    Bom, sobre o livro: estórias com foco em maternidade sempre me deixam bobo. Eu amo demais a minha mãe e sempre me envolvo com estórias assim. Recentemente li A Lista de Brett e amei (acho que você vai gostar) e fiquei super envolvido com os dramas da personagem.
    Essa ligação é muito legal e eu achei o livro muito fascinante. Amei sua resenha e se tiver ooportunidade, lerei o livro com toda certeza <3

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Chris, que história linda! Senti uma pitada de nicholas sparks ai e isso só me diz que vou gostar muito da história! Eu já conhecia o livro, mas como a capa nao tinha me conquistado, nem tinha parado para ler a sinopse.. Mas agora ele já está na lista haha
    Porque todos os livros são repletos de segredos hein?! Isso me mata de curiosidade haha
    Quero saber todo sobre essas duas mulheres e sobre o pai das crianças.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  10. Acho o máximo quando alguém diz que se envolveu tanto com uma leitura que varou a madrugada lendo... isso nunca me acontece, eu simplesmente durmo!! Deve ser tão legal ter essa capacidade! rs... Adoro quando a narrativa é tão viva que faz a gente sentir tudo o que uma personagem sente. Muito interessante também essa reflexão sobre como o que nos acontece na infância influencia nossas atitudes. Não conhecia o livro, mas me interessei por ele.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  11. Nossa, Chrys! Não me lembro de nada desse livro! Não lembro a capa, alguma resenha sobre ele. Uma pena não ter conhecido antes, porque me apaixonei pela premissa. O livro trata de um tema que adoro, a relaçâo maternal. E esses segredos que não podem mais ser desvendendados por causa da morte do marido deixam a história ainda mais interessante. Doida pra ler, principalmente depois dos seus elogios. ;)
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  12. Oie,

    Desde que li a resenha desse livro, em um blog que não me recordo o nome fiquei bem curiosa sobre a historia, agora leio outra resenha e aquela vontade que eu senti na primeira vez que li uma resenha desse livro voltou! A capa é muito linda, e acho que vou gostar muito dele! Ele já vai pra minha listinha, adorei sua resenha <3

    Mayla

    ResponderExcluir
  13. Olá

    Não conhecia o livro, tampouco a autora, mas histórias que tratam desse tema de maternidade e tudo mais sempre me cativaram. Não sei se eu me interesso pela leitura, só sei que essa história funcionaria demais comigo como um filme. Mesmo assim achei tudo bem curioso e bastante interessante. Anotei a dica e quem sabe eu acabe lendo.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Chrys!
    Parece realmente uma trama tocante e bonita, essa relação maternal é simplesmente linda, mas confesso que não fiquei interessada em ler.
    Parabéns pela resenha!

    Beijokas
    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi, Flor! Tudo bom?
    Já adorei o título e a capa, estou encantada e com o coração já quentinho, imaginando que linda história está guardada nessas páginas. Opa! Começamos com um notícia triste, depois vamos para um ponto ótimo, com um romance, casamento e crianças e mergulhamos de cabeça na escuridão total de desolação! Minha cabeça já está rodando e fico imaginando como a própria protagonista está.
    Somos iguais no ponto de esperar o momento certo para os livros. Ultimamente estou intercalando entre um com um assunto mais sério, e outro mais leve, levando para a comédia. Precisamos de um tempinho e relaxar durante as leituras, não é mesmo? Não culpo Ella por querer arrancar os cabelos com a volta da mulher que teve coragem de largar os filhos. Imagina, se apegar as crianças, acabar com aquele vazio de crianças e de repente isso acontece? Achei que ela iria desmaiar na hora que a mulher aparecesse!
    Estou encantada e surpresa com toda a força que a protagonista mostra, principalmente ao lutar pelas crianças, no fim, acho que muitos esperavam que ela fosse entregar as crianças de bom grado, mas não! Adorei sua resenha, assim como seu blog, e virei seguidora para estar sempre por dentro das novidades! <3

    Beijinhos,
    Percepções Blog | Grupo: Mais um livro, Por favor!

    ResponderExcluir
  16. Esses autores gostam mesmo de desestabilizar a vida dos personagens. rsrs Fiquei curiosa para saber mais sobre esses segredos, com certeza um belo suspense. Fico imaginando todo o amor de Ella pelas crianças e em um instante tudo ser arrancado dela. Pela resenha, vale mesmo a leitura.

    Beijos,
    Bell

    http://contosdoguerreiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá Chrys,
    nossa este livro é aquele tipo que faz você ter duvidas, angustias, questionamentos e ate sentir aquele amor onde ele reciproco.
    Eu já tinha lido resenhas sobre o livro mas nenhuma tão detalhadamente quanto a sua, e isso realmente me tocou e me fez querer neste exato momento ler ao livro. É uma pena não o ter.
    Eu amo ler livros assim, que de uma forma ou outra nos tocam e nos fazem refletir. Ainda mais quando o assunto é amor de mãe. Não conheço o lado da que abandonou, e nem ao de que virou mãe. Mas já tenho simpatia pela madrasta, que acolheu ao cargo com muito amor, e esta na luta para não perde-los. Espero mesmo muito em breve ler a esta obra, pois acredito que irei me surpreender e me sentirei assim, maravilhada com a historia.
    Parabéns Chrys pela resenha, ela esta perfeita.

    Beijokas Ana Zuky

    ResponderExcluir
  18. Oi, Chrys, tudo bom? Nunca tinha ouvido falar deste livro mas, sua resenha me chamou muito a atenção. Os temas tratados neste livro não são tão abordados e, pela maneira que você falou dele, vou acabar chorando muito também kkkkk Fiquei bem curiosa para descobrir os segredos do Joe, e bem, esse foco no tema maternidade me chamou muito a atenção. Já adicionei na lista de futuras leituras ^^'


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  19. Essa capa e esse título me chamaram muuuito a atenção, eu não li muitos livros que falem sobre a maternidade, mas tenho grande interesse em livros assim, eles geralmente são bem emocionantes e possuem uma mensagem maravilhosa para os leitores e esse livro parece ser assim. Imagino o que o cara escondeu e como a protagonista irá conseguir seguir em frente e lutar pelos seus filhos. Enfim, a sua resenha ficou incrível, passou tantos sentimentos que acredito que mesmo que eu não gostasse do tema iria querer ler o livro *-*

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  20. Olá Chrys!
    Caramba como essa história é envolvente. Eu amei a sua resenha.
    Não conhecia o livro e me deixou muito intrigada saber que duas mães vão lutar pelos filhos. E apesar de querer muito saber por a mãe biológica deixou as crianças, eu não acho justo ela voltar e sem mais nem menos arrancar as crianças da Ella. Com certeza vou comprar esse livro para ler.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Chrys, acho que tenho que começar falando que nunca tinha visto/ouvido falar desse livro, e caramba, Obrigada por nos apresentar esse livro que parece ser maravilhoso! Amei sua resenha, amei o tema abordado, e fiquei morrendo de curiosidade para saber "os porquês". Vai entrar para a lista de desejados com certeza. Gostei muitíssimo da sua resenha <3
    Ahh e a capa realmente é linda!

    Beijinhos!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!