27 março 2014

[Resenha] Jeremy Fink e o Sentido da Vida - Wendy Mass

Título: Jeremy Fink e o Sentido da Vida
Autor(a): Wendy Mass
Editora: Galera Júnior / Record
Gênero: Ficção Estrangeira
Sinopse: E se você encontrasse, inesperadamente, uma caixa com o seu nome contendo o sentido da vida? Um mês antes de seu aniversário, Jeremy Fink recebe do correio uma caixa de madeira misteriosa com uma frase entalhada. O Sentido da Vida: Para Jeremy Fink Abrir No Dia do Seu Aniversário de Treze Anos. A caixa tem quatro fechaduras, mas não há nem sinal de chaves. Para descobrir que segredos estão guardados ali dentro, Jeremy e sua melhor amiga Lizzy vão ter que usar a imaginação e rodar por todos os cantos de Manhattan em busca de pistas. Com uma mãozinha do sr. Oswald, dono de um antiquário, cada encontro revela uma nova pista que os ajudará a descobrir o conteúdo da caixa e, mais ainda, a desvendar o maior segredo de todos!

Quando chegou a News da Galera, Jeremy Fink me chamou atenção só pela capa. Como já gosto de uma literatura juvenil, não seria difícil de me agradar. Mas foi muito, muito melhor do que eu esperava.

Jeremy está a 1 mês do seu aniversário de 13 anos quando recebe uma encomenda um tanto misteriosa: uma caixa de madeira com um sistema de fechaduras complexo. Pela frase entalhada "O Sentido da Vida: Para Jeremy Fink abrir no dia do seu aniversário de treze anos", ele tem certeza de que era um presente preparado por seu pai, que falecera 4 anos antes. O problema é que a caixa contém 4 fechaduras, e as chaves sumiramNão é apenas a pura curiosidade, é a necessidade de saber o que o pai guardou  pra ele, é a vontade de estar mais próximo daquele que o destino roubou tão cedo.


Esta caixa passou a simbolizar todas as minhas esperanças, todos os meus fracassos. Antes de fazer qualquer outra coisa, preciso retomar tudo o que aconteceu neste verão: o Grande Erro, o velho, o livro, o abajur, o telescópio e esta caixa, que foi o começo de tudo.

Para a busca às chaves perdidas, ele conta com Lizzy, sua melhor amiga e vizinha de parede. Eles se conhecem desde bebês e não enxergam nada além de uma grande amizade entre menino e menina. Tudo bem que no decorrer da história rola uns ciuminhos, mas eles garantem que não tem nada a ver.

O casal de amigos começa a correr atrás de uma solução pra abrir a caixa, e as tentativas vão de invasão de propriedade a compra de chaves antigas inúteis. E, numa dessas tentativas, conhecem o sr. Oswald, um dono de antiquário que está de mudança e precisa realizar entregas antes de partir. Jeremy e Lizzy ficam responsáveis por levar os objetos restantes aos seus respectivos donos, e esses encontros são prá lá de especiais.

Junto com a procura pelas chaves, Jeremy tenta descobrir o sentido da vida. Se não conseguir abrir a caixa, pelo menos terá uma noção do que seu pai teria deixado. Mas, como você pode imaginar, esse é um assunto altamente subjetivo e complexo, e nosso protagonista ficará com mais interrogações do que tinha quando começou a missão. 


Como vou descobrir as respostas se vivo bagunçando as perguntas?

Chega de contar a história. Quando terminei, logo pensei em Extraordinário (quem ainda não leu, favor fazê-lo urgentemente). Tá, a temática é bem diferente, mas a comparação, pra mim, foi inevitável. Ambos os livros mostram protagonistas pré-adolescentes, tratam de amizade e nos envolvem muito além de uma simples ficção. Terminei emocionada (sem chorar, porque não sou dessas), reflexiva e encantada.

O livro é narrado em 1ª pessoa, na voz de Jeremy, e talvez esse tenha sido mais um dos pequenos motivos por que gostei tanto. Seus quase 13 anos revelam uma maturidade conquistada com o sofrimento de perder o pai, o mimo e os cuidados da mãe e a certeza de uma amizade pra qualquer hora. Ele é um curioso nato, um pesquisador, um pensador que divide conosco suas descobertas e reflexões. E, sem ao menos perceber, estamos o acompanhando nessa busca por descobrir o sentido da vida, (des)(re)construindo nossos próprios paradigmas.

Esse é o tipo de livro que vai se construindo aos poucos, com uma sequência de acontecimentos que causam curiosidade ao mesmo tempo que revelam informações importantes. Claro que tem coisas bobas, afinal são 2 crianças de 12 anos dialogando quase que o tempo todo, mas não é nada enjoativo pra um adulto ler.

Como já disse, fui fisgada pela capa no primeiro olhar. Todas essas chaves antigas, os detalhes que imitam papel envelhecido... I love it! A diagramação é simples, mas ganha um toque especial com uma chavinha naquelas divisões no interior do capítulo.

E a revisão merece um parágrafo inteiro! Cara, tá praticamente perfeito! clap clap clap Sério mesmo, acho que só percebi 2 ou 3 errinhos mínimos, mas tá um show! Isso me deixa tão feliz que eu preciso falar e repetir. rs
Considerando que é um livro juvenil, o público-alvo é composto por crianças e juniores, pessoinhas que estão ingressando no mundo da leitura autônoma dos livros sem ilustrações, pessoinhas que estão aprendendo as dificuldades da língua (quando usar s/x/z, como usar pontuação etc). E um texto atrativo e bem revisado é um prato cheio pra eles se divertirem e de quebra aprenderem o bom português.


Não gosto de surpresas. Não assisto a filmes de terror. Não atendo o telefone se não puder ver quem está ligando pelo identificador de chamadas. Eu nem gosto quando alguém diz "Adivinha?" e fica esperando você adivinhar. Surpresas me deixam nervoso. Depois que você tem uma surpresa de verdade, aquela que tira o seu fôlego e muda a sua vida, todas as pequenas surpresas fazem você pensar na grande.

Jeremy Fink foi uma grata surpresa, daquelas que a gente fica feliz por não ter deixado a oportunidade passar. E torço com meus dedinhos cruzados pra que a Galera traga mais títulos da autora pro Brasil, quem sabe eu não "perco" mais uma tarde inteirinha me deliciando com seus personagens. ♥

Um grande beijo



12 comentários:

  1. Olá Gi!! Não conhecia este livro, mas difícil não se interessar por ele depois de ler sua resenha.Um livro leve e que ao mesmo tempo tempo parece ser aquela leitura que te traz uma lição.
    Adorei poder saber mais sobre ele. Parabéns pela resenha, fiquei bastante animada para realizar a leitura dele!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. não conhecia, mas pra ganhar nota máxima e ser favoritado pouca coisa não é!
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que bom! Adorei o título do livro e tb me chamou muito a atenção. Melhor ainda saber que é semelhante ao Extraordinário - que amei e sim, chorei, 'sou dessas'! Quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Oie flor!!
    Nossa não dei muita coisa por esse livro quando vi a divulgação! Mas ele parece ser muito bom, top mesmo. Achei bem interessante a premissa do livro que constitui em o garoto receber uma caixa lacrada sem as chaves e também por procurar a ajuda de sua "melhor amiga", será que depois de tanto tempo juntos vão continuar sendo amigos? hehehehe Fiquei me roendo de curiosidade pra saber o que tem dentro da caixa, imagina o Jeremy? rsrsrsrs

    Beijos!!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
  6. Poxa que resenha legal, achei que iria ler um detalhamento técnico e sem qualquer conexão com a leitura, mas eis que me deparo com uma resenha muito emocionada. E não tem como eu não querer ler, já estou com o meu Extraordinário engatilhado para leitura e você me apresenta esse de capa e conteúdo vibrantes...

    ResponderExcluir
  7. Acabo de ver o anúncio sobre este lançamento e me encantei com o comentário da blogueira, que esperava um livro semelhante ao O Mundo de Sofia. Foi o suficiente para aguçar minha curiosidade, então, quando vi a resenha, queria MUITO lê-la! Nossa, como ignorar um livro comparado ao que Extraordinário causa? Quando li Extraordinário, senti exatamente o encantamento que você citou, flor. Com certeza, quero ler Jeremy Fink!
    Linda resenha.

    My Queen Side

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro e não estava tão interessada num primeiro momento da leitura da resenha. Acho que o que me ganhou foi a comparação com Extraordinário. Isso porque vejo neste tipo de leitura muito mais que uma trama juvenil: há amizade, há uma narrativa excelente e personagens bem construídos. Também acho demais essa ideia do menino tentar se sentir mais próximo do pai por meio do desafio deixado por este.
    Leria o livro, sem dúvida.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Giulia, não conhecia o livro, e confesso que de início não me empolguei com ele. Conforme fui lendo sua resenha a coisa foi mudando, que bom.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  10. Fico muito empolgada quando vejo a nota e o ♥ nas resenhas e ultimamente por aqui só dá isso: Livros ótimos.
    Adorei esta capa. Linda demais.
    Adoro literatura juvenil... até hoje foi onde encontrei as melhores estórias.
    Creio que a estória seja muito linda já que a trama gira em torno de um presente preparado pelo pai da protagonista...
    Tá chegando meu niver, queria algo assim...
    Bjs


    ResponderExcluir
  11. Olá amei a resenha parabéns despertou meu interesse,já estar na minha lista de favorito apesar de não conhecer o livro,gostei do enredo!
    Beijinsss!

    ResponderExcluir
  12. Nossa Giulia, agora estou mega curiosa para saber, afinal, o que tem nessa caixinha de mistérios. Eu amo livros infanto juvenis e quando são bem escritos me fisgam de imediato. Valeu a dica. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!