29 outubro 2013

[RESENHA] Reiniciados - Teri Terry

Título: Reiniciados (Slated #1)
Autor(a): Teri Terry
Editora: Farol Literário
Gênero: Distopia
Score: 5/5 stars
Sinopse: As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade?



Londres, ano de 2054. 34 anos após o colapso econômico e financeiro da Europa que desencadeou na separação e fechamento das fronteiras entre o Reino Unido e o restante da União Europeia. As manifestações eram inevitáveis, inicialmente, os estudantes a faziam de forma pacífica, mas chegou uma hora que se perdeu o controle. Por esta razão, o movimento da Lei e da Ordem criou os lordeiros, uma espécie de polícia que empregava a tolerância zero para casos de violência e desobediência civil; a punição para os descumpridores da lei era pesada.

Para o governo, os jovens que um dia foram meros manifestantes, ou aqueles que participavam de gangues, eram agora tidos como criminosos e terroristas e por isso, precisavam ser reabilitados para se reintegrarem à sociedade. Neste momento, surgiu um procedimento médico inovador, que seria capaz de apagar toda a memória e a personalidade destas pessoas. Isso foi perfeito e possibilitou a coalizão governamental, a qual agora, ao invés de punir severamente, daria uma nova chance. Eram os Reiniciados.

Kyla tinha apenas 16 anos e há nove meses era uma Reiniciada. Agora ela era vazia de experiências, novamente falou suas primeiras palavras, deu seus primeiros passos, ao longo do tempo estava sendo recriada. A principal característica dos Reiniciados era que estes, tiveram a felicidade intensificada em seus perfis psicológicos, ou seja, sorriam para tudo e para todos. Isso porque, os reiniciados precisavam manter altos os níveis de seu Nivo, uma pulseira vibratória que quantifica o nível de felicidade e consequentemente amabilidade, avisando quando os níveis estão abaixo de 5.0. 10 é a completa felicidade, já se ficar abaixo de 3, o reiniciado poderá desmaiar e em casos de níveis inferiores a 2, podem causar convulsões, levando à morte ou ao menos o estado vegetativo. Tudo isso para impedir qualquer impulso violento.

Dra Lysander era a criadora deste projeto e também a médica responsável pelo tratamento de Kayla enquanto ela esteve no hospital. Agora era hora de ir para casa, com sua nova família, David, Sandra e Amy Davis (também reiniciada). David e Amy recebem Kayla muito bem, sua nova irmã é muito doce e paciente, enquanto sua mãe, hostil e dura. Há ainda Sebastian, o gato da família, que aos poucos se apega tanto a Kayla, que é o responsável em manter os níveis da garota equilibrados.

A razão de Kayla permanecer por tanto tempo no hospital se deve a seus terríveis pesadelos. Para Kayla eles são tão reais; para Dra Lysander, não passam de fantasia, coisas de seu subconsciente, não sendo possível saber se são ou não reais.

Kayla sempre se questionou sobre seu passado, sobre quem foi, sobre porque fora reiniciada. Exatamente o que o governo não tolerava, perguntas. Com o tempo Kayla foi se descobrindo e percebeu que fora ensinada a usar a mão direita, mas que ela desenhava e muito melhor com a esquerda. Percebeu ainda que seus níveis desciam muito rápido, porém, quando sentia dor e quando se assustava ou sentia medo, seus níveis mantinham-se elevados.

Kayla começa a frequentar a escola, porém não é bem recebida por alguns alunos, justamente pelo fato de ser uma reiniciada. Kayla era constantemente vigiada, precisava ir a reuniões com outros reiniciados e quinzenalmente, voltar ao hospital para consultas com a Dra Lysander. Era muito difícil não contar-lhes a verdade sobre o que acontecia ao seu redor e por essa razão, quando começam a desaparecer pessoas e outras são levadas pelos lordeiros, os alunos começam a culpar Kayla e chamá-la de espiã.

A primeira a desaparecer é Tori, uma garota que Kayla conheceu em uma das reuniões, depois Phoebe, com quem teve um contratempo. Ela também conheceu Ben, um reiniciado lindo que Kayla insistia que conhecia de algum lugar, ou ainda, a vida toda.

Numa noite, Amy conta a Kayla que sua mãe teve um filho no primeiro casamento e que esse garoto morreu aos 15 anos, em um ônibus da escola, que fora incendiado por terroristas. Mas foi quando viu o memorial feito para aquelas crianças que Kayla teve uma visão, uma clara visão do momento em que o ônibus fora atacado. Kayla desenha Robert e sua mãe o reconhece. Seria Kayla uma terrorista? Seria ela a responsável por aquelas mortes e por isso fora reiniciada?

Para piorar ainda mais a situação, seu professor de artes resolve fazer um trabalho em classe e homenageia Phoebe, uma das garotas desaparecidas. Não demora muito e ele é levado pelos lordeiros. O que está acontecendo? Afinal em tão pouco tempo ele era a terceira pessoa desaparecida, e ninguém parecia se importar.

Mas é numa tarde em que Kayla sai para ajudar a irmã a se encontrar escondido com Jazz, seu namorado, que a garota descobre uma verdade sobre seu passado. Pesquisando em um computador clandestino nos fundos da casa de Mac (primo de Jazz), eles descobrem em um site de denúncia sobre pessoas desaparecidas que Kayla é Lucy, e foi dada como desaparecida. Estaria sua verdadeira família lhe procurando? Se estavam então ela não seria uma criminosa e, portanto, porque foi reiniciada?

Estes e muitos outros mistérios lhe aguardam nessa distopia maravilhosa! É o primeiro volume de uma série escrita por Teri Terry e lançada aqui no Brasil pela Editora Farol Literário.

Minha paixão começou pela capa, que é estonteante, depois me apaixonei pela sinopse e bam, ele ganhou meu coração. Foi uma estreia espetacular de Teri, que nos mostrou um universo distópico completamente inovador, um romance não clichê e um livro recheado de suspense com pistas por todos os lados e principalmente, nos pequenos detalhes.

Aqui não se pode confiar em ninguém, nada é o que parece e isso é o que vai tornando o livro mais interessante a cada página virada. É impossível parar de ler!

Reiniciados nos deixa 10 mistérios intrigantes que fizeram com que mesmo após ter terminado de lê-lo há semanas, eu continue pensando em Kayla, em Ben, em Amy e nos demais personagens. Amy é boazinha demais e isso me deixou desconfiada. Dra Lysander manteve o tempo todo o arquivo com todos os detalhes da vida de Kayla e insistia em dar-lhe mais uma chance, assim, não acredito que ela seja ruim, o contrário do que penso a respeito do pai de Kayla, que me deu motivos suficientes para crer que trabalhava para os lordeiros. Esses são apenas alguns dos 10 mistérios que permanecem diariamente em minha cabeça.
Você vai saber o que é isso e me entender quando pegá-lo pra ler.

Minha única ressalva que não foi capaz de tirar as 5 merecidas estrelas que este livro ganhou, fica a cargo de que a história de como o País chegou àquela situação é contada tão somente na orelha do livro. Aqueles que têm mania de não ler (como eu), se sentirão meio perdidos ao se deparar com a informação de que em 2054, nenhum menor de idade pode usar o telefone celular nem o computador.


Mesmo assim, Reiniciados é uma história fantástica, com personagens cativantes e cheios de personalidade, um mundo fictício inovador e uma narrativa de prender o fôlego.

19 comentários:

  1. Quero muito ler esse livro, já vi varias resenhas e ele parece ter muito bom!!!!
    Amei a resenha!!!!!!!!

    Bjus
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Poxa eu nao sabia que essa informação - que pra mim eh mega importante - só tinha na aba do livro.. acho que depois dessa vou passar a ler todas as abas hahhahah
    a cada resenha tenho mais vontade de ler Reiniciados *-*
    Agora que esta aindo fragmentada então.. eu preciso dele ;D

    Beeijos, Dreeh.
    Livros e tudo que há de bom

    ResponderExcluir
  3. Reiniciados parece ser um bom livro, apesar de não ser meu tipo de leitura favorito ou desejado no momento, mas sinceramente, essa exploração cientifica me dá medo, pois assim parece que isso possa ser real, ja que os avanços são grandes e a ganância humana sem limites
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Belíssima a capa! Quando leio a resenha de um livro e nesse pequeno contato, já me deixa encantada, com certeza já entra na minha lista. Adorei o conjunto do enredo com a capa. Parece ser um livro repleto de conteúdo. Já está na minha lista de desejados =)

    ResponderExcluir
  5. A sinopse não tinha me conquistado a primeira vez que eu li,mas a capa dizia (COMPRE-ME) aí coloquei em uma listinha de compras xDD
    O problema é que não consegui comprar ainda e já vai lançar o segundo,né? Enfim, adoro distopia e estou cada vez mais animada para ler esse livro porque a sua e a outra resenha que li sobre ele, são simplesmente maravilhosas *---*
    Ótima resenha.
    http://romances-para-te-fazer-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Muito louco isso... apagar das pessoas o que mais lhes é próprio: a consciência do que viveram... as lembranças, a trajetória. Muito oportuno pensar nisso em tempos de manipulação política, social...
    Taí uma distopia interessante, mesmo nem sendo fã do gênero, mas pelo fato de reunir suspense e tensão, momentos de reflexão e uma trama bem amarrada, com um romancezinho pra colorir. Gostei muito!

    ResponderExcluir
  7. Para ser bem sincera não sou muito fã de distopias, por isso acabo não lendo muitos livros do gênero, mas “Reiniciados” parece possuir uma boa história. Achei bem diferente a ideia de “reiniciar” as pessoas, e também não gosto de personagens muito bonzinhos, já que eles sempre guardam grandes segredos. Enfim gostei da sua resenha, e quem sabe no futuro eu de uma chance ao livro.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Distopia não é o meu gênero favorito de leitura, mas eu lendo a resenha, fui me encantando com tantos detalhes, fiquei me perguntando o tanto que a autora é criativa pra escrever uma historia tão diferente e completa como essa, já pensou se algumas pessoas no mundo pudessem ser "reiniciadas", seria a glória do universo né,rsrs! Fiquei completamente apaixonada pela historia e muito curiosa pra saber mais sobre o passado de Kayla, é claro que esse livro vai pra lista de desejados! Ótima resenha! :)

    ResponderExcluir
  9. Não sou muito fã de distopias, mas essa me pareceu interessante. Já pensou se essa moda pega? Deve ser muito ruim ter que reaprender a vida, sem ao menos saber quem é! Adorei a dica. Bjs...
    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Se eu já estava com vontade de ler esse livro, depois dessa resenha só aumentou.
    Não gosto muito de distopias, pelo contrário, adoro histórias pé no chão e bem realistas, mas essa me chamou atenção desde o lançamento da capa do segundo livro "Fragmentada". Muito criativo! E a história além de misteriosa, interessante e envolvente, é bem original.
    Imagina que louco pessoas sendo reiniciadas, começando uma nova vida em um corpo já maduro, sem saber como parar ali? Além de uma vida, uma essência também foi perdida. Gostei de cara da personagem da Kayla (que era Lucy, haha).

    ResponderExcluir
  11. Estou com uma expectativa tão grande quanto a esse livro! Adoro distopias e saber que esse é inovador só fico com mais vontade. A capa é mesmo mito linda! Espero poder ler o livro o quanto antes e poder me impressionar tanto assim e ficar com ele na cabeça até depois de fechá-lo.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Eu não dei a devida atenção ao livro, mesmo gostando da capa foi a sinopse que não me convenceu e como quero tantos livros não procurei saber mais sobre o livro. Quero saber o que se esconde por trás desse sistema, porque as pessoas são levadas se são inocentes (estou presumindo, menos o professor porque ele quis fazer uma homenagem à aluna).
    Ansiosa por Fragmentada?
    bjs

    ResponderExcluir
  13. Reiniciados é um dos livros que está na minha lista de compra. Ele tem uma premissa que me agradou desde o primeiro momento e sem falar na capa que é muito ''dahora''. Esses mistérios me fazem querer entrar na história o mais rápido para descobrir todos!

    ResponderExcluir
  14. Nossa que vacilo, porque raios essa informação não poderia ter sido acrescentada ao longo da trama? Eu mesma não costumo ler orelhas porque elas contém metado do livro e eu não gosto de ler uma história sabendo o resumo do que vai acontecer. Mas mesmo assim a história parece ser bem bacana e me deixou curiosa, aliás, curiosíssima!

    ResponderExcluir
  15. Fiquei perdida agora, quem é a dona de mais essa resenha sensacional aqui do Todas as coisas? Minha nossa que resenha! E que livro! Confesso que no começo fiquei com um pouco de receio por que a premissa de apagar as memórias me lembrou de Feios do Scott Westerfeld, um livro que eu esperava gostar e me decepcionou, mas depois vi que a história toma um rumo bem diferente. Apesar de ver muita gente dizendo que o livro é maravilhoso, muito bom e tals eu nunca tinha lido uma resenha dele e tenho certeza de que não preciso ler outra porque essa já me conquistou! Eu amo distopias e saber que a trama é diferente das que estou acostumada me deixa ainda mais curiosa. Mas não entendo porque esse tipo de informação citada não está descrito no decorrer da história, muito esquisito. Enfim é mais um livro que vai pra lista! Amei a resenha.
    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Gosto de distopias e ultimamente elas estão me decepcionando. Preciso ler algo que seja realmente bom novamente, que se torne um favorito, quem sabe. Espero que esse possa fazer isso.

    ResponderExcluir
  17. Eu ganhei esse livro em um sorteio, ainda não chegou, no entanto, estou - fiquei mais ainda - ansioso por ler Reiniciado. Conhecer a história dessa menina sem memória e agora o que eu faço. Quero que chegue logo. Você reparou que eu quero ler todos os livros, né. hahaha. Me escolhe no top, viu!

    Uma dose de palavras.
    http://uma-dose-de-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Eu tenho o livro, mas ainda não o li. Estou na maior expectativa.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  19. Uau, que resenha, faz um tempão que tinha vontade de ler esse livro, mas agora só aumentou. Acho a premissa da história tão interessante! Fora o fato de que amo distopias. Preciso lê-lo logo. Beijão, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!