07 agosto 2012

RESENHA Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter



Olá Pessoal,
Hoje temos aqui, mais uma resenha do livro Para Sempre!!!


Bom, o livro é fininho, só terminei em 3 dias pq tive pouco tempo por dia para ler, senão teria terminado em um dia só!

A Capa possui a foto fosca, com apenas o título brilhante em alto relevo, a contra capa e ao contrário, a foto é brilhante!

Os capítulos são grandes sim, mas as letras têm um tamanho ideal e a leitura acaba fluindo bem, este é outro livro que vejo que tem sumário!!!

Comecei a ler o livro sem conhecer a historia, sem ler sinopse e muito menos a orelha do livro! Somente sabendo que era uma história real do casal Krickitt.

A história é narrada em 1ª pessoa pelo Kim (Kimmer Carpenter) e nos conta sua história de vida ao lado de sua esposa Krickitt, desde que a conheceu até os tempos atuais.

O livro possui um prólogo que se passa em Dezembro de 1993, onde ele e sua esposa Krickitt, estão em uma sessão de terapia. Nesta sessão, o terapeuta faz algumas perguntas para situar Krickitt no tempo (em que ano estamos, quem é o presidente, quem é sua mãe, quem é seu pai, etc). O terapeuta pergunta quem é seu marido e a resposta, abala Kim:

" - Não sou casada" (pág 8)

A partir do primeiro capítulo, Kim começa a contar-nos sua história e de como conheceu Krickitt para explicar os acontecimentos do prólogo.

Ele era técnico de um time de beisebol do Highlands Cowboys em Las Vegas - Novo México e decidiu comprar algumas jaquetas esportivas para ele e seus assistentes técnicos. Consultando um catálogo, Kim ligou na loja Jammin Sportswear que ficava na Califórnia, para encomenda-las.

Kim foi atendido por uma moça chamada Krickitt que trabalhava como atendente telefônica nesta loja de artigos esportivos e contagiava seus clientes com seu bom humor.

"Ela era tão incrivelmente agradável e atenciosa que não consegui evitar de pensar que meu dia ficou melhor simplesmente por ter conversado com ela" (Pág 12)

Kim, resolveu ligar outras vezes, usando a encomenda das jaquetas como desculpa para falar com Krickitt.

"O que havia naquela pessoa chamada Krickitt que, de repente, fizera com que eu me sentisse como um adolescente nervoso e apaixonado? (pág 13)

Com o passar do tempo, começaram a falar sobre outros assuntos e Krickitt passou seu telefone de casa e Kim começou a telefonar-lhe algumas noites, onde puderam saber mais um sobre o outro, inclusive que Krickitt praticava esportes desde pequena e que ela começou a entender o cristianismo depois de ler "As 4 leis espirituais". Além disso passaram a se corresponder por cartas e enviar fotografias, até o momento em que resolveram se conhecer.

Krickitt foi até o Novo México passar o final de semana. Nada aconteceu entre eles, além da certeza de um futuro juntos. Pouco tempo depois Kim e Krickitt consumaram o casamento.

"Depois de fazermos nossos votos, o pastor pediu que meu padrinho de casamento, Mike Kloeppel, trouxesse as alianças. Mike colocou a mão por dentro de seu paletó, mas, em vez de tirar as alianças, tirou de lá uma luva preta de beisebol, novinha e recém engraxada, de modo que brilhasse. Mike me entregou a luva. Eu a coloquei na mão e fiz um sinal para o pai de Krickitt, que abriu um grande sorriso, ficou em pé e arremessou uma bola de beisebol para que eu a apanhasse.Peguei a bola ainda no ar, joguei a luva por cima do ombro para Mike e removi um pedaço de fita adesiva que estava na bola. Dentro da bola estava a aliança de Krickitt" (Pág 26)

Dois meses após o casamento, o casal decide passar o feriado de Ação de Graças em Phoenix. Kim, que estava na direção do veículo, começou a passar muito mal, trocando de lugar com Krickitt e deitando-se no banco de trás para descansar. Kim acordou repentinamente com um grito agudo de "Cuidado" e levantou-se bem a tempo de sentir o impacto da batida. O carro capotou uma vez e meia e arrastou-se por 32 metros de cabeça para baixo.

Kim estava vivo, porém muito ferido e com o rosto defigurado. Já Krickitt, estava de cabeça para baixo, presa no cinto de segurança, desacordada e sangrando. Levados para o hospital, Kim tomou conhecimento de que o estado de Krickitt era gravíssimo e que ela poderia não resistir. Decisões médicas encaminharam Krickitt para o hospital da cidade de Albuquerque. Kim permaneceu no hospital, saindo de lá horas depois, mesmo contrariando ordens médicas. Ele queria estar com ela, com sua esposa.

Seu pai foi buscar-lhe para levá-lo ao encontro de Krickitt, no caminho Kim pensou que se Krickitt morresse, ele não teria mais motivos para viver. Krickitt permaneceu em coma e com a pressão intracraniana alta e a pressão sanguínea muito baixa, tendo sido desenganada pelos médicos. Porém a Fé de Krickitt e a de Kim era tamanha que Krickitt foi melhorando aos poucos. Era um Milagre!

"Com a permissão do médico, eu colocava pequenos pedaços de gelo em sua boca (...) Depois de dar mais alguns pedaços de gelo a ela, coloquei meu rosto a poucos cm do dela.
 - Eu amo você, Krickitt - eu disse, delicadamente.
 - Eu também amo você.
Eu não conseguia acreditar! Minha esposa não havia apenas falado, mas ela havia dito as palavras que eu desejava ouvir. A minha Krickitt havia retornado. O simples fato de ouvir aquelas palavras fez com que eu soubesse que tudo ficaria bem" (pág 59).


Krickitt milagrosamente foi melhorando e respondendo à estímulos, abrindo os olhos, sentando, levantando e posteriormente andando, ainda que se apoiando e arrastando o pé direito e com o pulso contorcido.  Ela falava sem entonação de voz, nem expressão facial. Havia sequelas.

Krickitt foi para um Instituto neurológico em Phoenix, onde foi tratada por diversos especialistas, entre eles o terapeuta que realizou as perguntas apresentadas no Prólogo. Krickitt teve uma lesão cerebral que removeu sua memória curta, fazendo-a esquecer que conheceu, namorou e casou-se com Kim.

A partir daí, começa a luta de Kim e Krickitt para sua recuperação. A situação entre os dois não foi das melhores, ela sequer sabia quem ele era.

Não vou contar mais, pq senão entrego toda a história que é bonita de se conhecer e que nos mostra a incessante busca pela cura, por ambos.

Eu gostei da narrativa ter sido de Kim, mas amaria que Krickitt tivesse dado o ar da graça para expor seus sentimentos e pensamentos da época. Eu achei o livro um pouco corrido e superficial, algumas passagens ficaram sem explicação, como por exemplo as diversas e diversas vezes que ele conta que a financeira estava em seu pé devido à grande soma devida pelos gastos médicos e de repente ele relata, naturalmente, que tinha se livrado daquele fardo (COMO??? O.O).

Depois que Krickitt decididamente não mais lembrava de Kim e quando teve as sequelas da lesão no cérebro ficando sensível e agressiva, este mostrou-se absurdamente egoísta, e em diversas passagens só sabia perguntar a Deus quando Krickitt voltaria a ser como antes... tive vontade de gritar diante das páginas: NUNCA SEU IDIOTA! Poxa, será que ele não entendia a gravidade do acidente? Fiquei me perguntando se ele somente a amaria se fosse normal, como antes.

Depois sentei, relaxei e me puxei a orelha lembrando que eu estava lendo uma história real e não um romance imaginário. Ali era o relato de um ser humano de verdade e que como tal tem seus defeitos e falhas. depois disso "fiz as pazes" com Kim e terminei de ler.

Senti falta de saber como Krickitt tinha ficado fisicamente, 100% saudável? não sei dizer.
como ficou Krickitt mentalmente, 100% saudável exceto pelas memórias do marido? não sei também.

Algumas partes mais interessantes tinham que ser contadas por Krickitt.

O livro vale a pena sim ser lido, porém sem grandes expectativas, tendo sempre em mente que se trata de acontecimentos reais.


Minha avaliação foi:



É isso aí pessoal nem sempre gostamos de tudo não é mesmo?

Beijos
Chrys






14 comentários:

  1. Oi Chrys!
    Já li várias resenhas sobre esse livro, e muita gente se decepcionou com a narrativa. Eu acho (achismo mesmo) que pelo fato da capa dar a entender que o livro é um romance, ao se depararem com uma história real não romanceada, o livro acaba não suprindo as expectativas.
    Beijos... Elis Culceag. www.arquivopassional.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso Elis... temos que ler consciente... eu me vendi pela capa e por julgar ser uma história que não foi...
      Se eu tivesse lido uma resenha pelo menos antes, teria encarado de forma diferente, estaria preparada!!!

      Mas tem partes boas sim...

      Beijos

      Excluir
  2. Eu gostei bastante desse livro, é uma história linda, e admirei muito o Kim, por não ter desistido da esposa e ter se mantido do lado dela, mesmo quando ela estava brava ou não se lembrava dele.
    Claro que pelo fato de ser uma historia real ela é bem mais direta, não fica fazendo rodeios e nem nada.

    beijos, Juh
    livroseconversas

    ResponderExcluir
  3. Vi o filme e me decepcionei também... nem estava querendo ler o livro, mas fiz umas pesquisas e descobri que o filme está quase todo fora do contexto do livro.
    Tá na lista, um dia eu leio...
    Bjoo.

    :)

    Nome de seguidora: Gladys Freitas.

    ResponderExcluir
  4. Curti muito ler a história do casal, achei interessante até bonita, afinal lutar como ele lutou não é para qualquer um.

    ResponderExcluir
  5. Eu achei a historia do filme linda. Quero muito ler, porque o filme, acho, nao explorou muita coisa.

    ResponderExcluir
  6. Eu achei a historia do filme linda. Quero muito ler, porque o filme, acho, nao explorou muita coisa.

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Estou com muita vpontade de ler esse livro, mas, pelo menos agora, após sua resenha, não vou criar expectativas..

    Bjks!

    ResponderExcluir
  8. Oi Chrys.
    Eu nunca tive muita vontade de ler esse livro, já em relação ao filme é o contrário, quero muito ver, adoro os atores.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. "Eu achei o livro um pouco corrido e superficial" vc disse tudo Chrys. Posso resumir o livro dessa forma, e não acredito que é pelo fato de ser uma história verídica. Acho que deixou muito a desejar.

    ResponderExcluir
  10. Nunca tive muita vontade de ler esse livro, pelas resenhas que eu li minha intuição estava certa. Sé de ler sua resenha já senti um certo ódio da Kim rsrs.

    ResponderExcluir
  11. Eu já li e não gostei. Não pq ele não era o que eu esperava (um romance tipo doce e fofo), mas pq o tempo todo que lia parecia que o Kim estava fazendo aquilo por obrigação ao voto, não pq ele amava ela ainda.

    ResponderExcluir
  12. Eu li e amei.
    Sou apaixonada por esse livro. É perfeito. Kim tem uma entrega pela esposa fora do comum.
    Recomendo!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para nós e será sempre respondido, volte para conferir!
Se possível, deixe o link de seu blog, adoramos conhecer espaços novos e retribuir a visita!